Atividades de Observação

Diagnóstico da E. E. Thereza Dorothea

Localização – A escola frequentada por nós situa-se no bairro Burgo Paulista, Zona Leste de São Paulo, a aproximadamente 20 quilômetros do campus Uninove onde estudamos.

Dados regionais – De acordo com o site do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD) o Índice de desenvolvimento Humano (IDH) da região onde se situa a escola é médio [1].

Indicadores de rendimento – Em relação ao Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), a escola situa-se entre o nível básico e abaixo do básico para o 3º ano do 2º grau. [2]

Infraestrutura – A infraestrutura da Escola é boa: pintura agradável; carteiras, lousa e giz a contento; computadores; Auditório; banheiros limpos; acessibilidade universal desde a entrada da escola; membros da secretaria, diretoria e coordenação pedagógica muito solícitos e professor com interesse nos conteúdos a se ministrar.

Aulas – Pudemos observar em sala que o professor possui alguma dificuldade em ministrar as aulas. Dessa observação, tiramos duas considerações: a primeira é a de que o docente esteve a disposição dos alunos, passando os conteúdos de acordo com o que o material didático propunha. A segunda está no alunado, que acabava por se desinteressar da disciplina pelo fato de ela ser “diferente”, posto que foi reinserida recentemente nos componentes curriculares do estado de São Paulo.

A direção da escola é nova e está rearticulando coisas importantes desse estabelecimento escolar, como o próprio Plano Político Pedagógico da Escola (PPP).

NOTAS:

1 – http://www.pnud.org.br/IDH/DH.aspx Acesso em 25/10/2014

2 – file:///Users/reneestebanrojo/Downloads/-Boletim-RedeEstadual-1-2013_RE_002800_1.pdf .  Acesso em 25/10/2014



Diagnóstico da E. E. Dom Miguel Kruse

A E.E. Dom Miguel Kruse está lograda à Rua São José do Campestre, sem nº, no bairro Jardim Danfer situado na zona leste de São Paulo. Trata-se de uma escola de ensino fundamental II, ensino médio e EJA funcionando em três períodos que atende a demanda dos bairros adjacentes como: Cangaíba, Jardim Penha, Ponte Rasa, Vila Cisper, Vila Silvia, Ermelino Matarazzo e Engenheiro Goulart.

De fácil acesso, porém, com alto índice de violência em seu entorno (a escola fica em uma baixada, escondida entre ruas residenciais), está em uma região entre morros que consiste em residenciais de alvenaria, ruas asfaltadas com iluminação irregular, rede de esgoto e tratamento de água, policiamento em contraste com três grandes empreendimentos imobiliários (condomínio residencial de alto padrão), estão duas grandes ocupações: Favela do Cangaíba e Invasão da Vila Silvia. Sem outro tipo de aparelho público nas redondezas, os moradores recorrem à escola aos fins de semana para acesso á internet, jogos, e atividades dirigidas da Escola da família. As imediações da escola, conta com serviço de transporte público realizado por linhas regulares de ônibus e micro ônibus entre bairros e bairro-centro bem como duas estações de trem da CPTM Linha 12 Coral – Estação Engenheiro Goulart que dá acesso ao Parque Ecológico do Tietê e a Estação USP Leste que dá acesso ao Campus Leste da universidade (o perímetro da escola está entre essas duas estações) e, apesar da proximidade pouco frequentam os mesmos com assiduidade utilizando os trens como meio de locomoção mais rápido para o trabalho, contam também com serviço de fretamento de ônibus, vans particulares e pontos de taxis.

Os grandes empregadores da região são: a Central de Rede e Distribuição da Eletropaulo; a Central Operacional e de Manutenção da Telefônica; a Fábrica de Vidros Cisper; Supermercado Extra e Rossi. Os demais comércios, serviços e ramos de atividade são em sua maioria oficinas de costura, fabrica de blocos e micro empresas do ramo de serviços liberais, as demais atividades são supermercados, casa de materiais de construção, igrejas, lojas de armarinhos, chaveiro 24 horas, posto de gasolina, padarias e salões de cabeleireiros, caixa 24 horas.

No período da manhã a escola atende alunos de 11 a 15 no ensino fundamental II, e de 15 a 18 no ensino médio que em sua maioria não trabalham tendo a escola como principal atividade diária. A partir de dados coletados e fontes visitadas é possível verificar que se trata de pré-adolescentes e adolescentes que moram em casa própria com os pais e irmãos sendo, em média 04 pessoas por família, com carro, alfabetizados, com convênio, auxilio transporte e poucos livros lidos sem que fosse exigido.

À tarde, os alunos atendidos são exclusivamente estudantes do fundamental II com idade entre 11 e 15 anos que possuem perfil muito semelhante aos do período da manhã com um diferencial, existem muitos grupos de irmãos que estudam no mesmo período bem como, alunos que tem familiares como pais, tio, primos, irmão, como ex-alunos da escola. Outro dado interessante é que existe um aumento no caso de alunos filhos de pais separados em relação aos outros períodos.

O período noturno oferece aos estudantes do ensino médio com média de 15 a 18 anos e EJA com variável entre 18 e 65 anos sendo que a média é de 36 anos aulas regulares. A grande maioria dos alunos do EJA é de homens casados, com filhos e empregados que tem intenção de melhorar seu cargo ou função participando de seleção interna na empresa que trabalha. Já as mulheres são mais jovens que os homens, maioria maciça, solteiras e mães de pelo menos um filho. Em quase todos os casos foram mães na adolescência e retomaram os estudos interrompidos pela gestação, trabalham e vivem com a família materna.

Quanto aos funcionários, é possível verificar que se trata de uma escola que mantêm seu quadro de funcionários em todos os níveis por anos, mesmo os contratados. Foi realizada entrevista com 05 funcionários e os dados resultaram na seguinte análise: Auxiliares de Escola exercem várias funções, a que julgam, mas importante é relacionada ao atendimento aos alunos fazendo o controle das entradas e saídas, entrega de materiais, avisos entre outros. A média salarial dos entrevistados é de 501,00 a 1000,00 sendo que todos são contratados por tempo determinado para o cargo. Possuem ensino superior cursando, quando não, ensino médio-técnico e estão em média 01 ano na função.

A escola possui duas quadras cobertas, pátio externo e interno, anfiteatro, sala de vídeo, laboratório de informática, laboratório de ciências, biblioteca, rádio, arquivo e sala de materiais. O prédio passou recentemente por reformas estruturais, está pintado (grafitado) na área externa, nas salas e corredores e no pátio possui painéis de avisos com adesivos de flores e borboletas colados pela direção. Há um recente esquema de filmagens instalado nas áreas de convivência, inclusive nos corredores, acessos, secretaria, coordenação e sala dos professores.

O sinal da escola é musical, e todo mês é trocada a trilha sonora escolhida através de votação entre os alunos e professores. As salas de aula estão dispostas em um único pavimento de dois andares, são: 18 salas de aula no total usadas todos os dias nos três períodos, cada período tem em média 38 alunos por turma, são amplas, com carteiras e cadeiras claras e limpas (não rabiscadas) cortinas de algodão cru em todas as salas bem conservadas, lixeiras, mesa ampla e cadeira de madeira para uso dos professores, dois ventiladores de parede. A sala da coordenação fica próxima ao pátio e possui parte dos recursos materiais da escola máquina de xerox, scanner, rádio, aparelho de DVD, computador, notebook, e o arquivo de livros didáticos a serem distribuídos aos alunos e professores. Existe uma cozinha exclusiva para uso dos funcionários da escola com duas geladeiras pequenas, pia, armário de parede com utensílios de cozinha, fogão a gás, mesa quatro cadeiras e lixeira, ao lado fica a sala de artes, os banheiros feminino e masculino e entrada para a secretaria. No corredor estão dispostos alguns quadros na parede com a foto do patrono da escola, turmas formadas de anos anteriores, paisagens, quadros de aviso e armários de madeira.

A sala dos professores é pequena para o número de professores da escola (são 94 contando com os eventuais) tem um armário com apagadores, caixas de giz de lousa, dicionários, atlas, réguas e esquadros, os armários de ferro dos professores enfileirados em duas paredes, uma mesa ampla com cadeiras um computador, televisão de plasma, três ventiladores, dois painéis de aviso (um sobre informes da diretoria de ensino e da secretaria de educação e outro com comunicados ao corpo docente, com escala de trabalho, cronograma de atividades e atividades externas). A secretaria q fica ao lado é separada em dois setores, o de atendimento ao público e a direção. O atendimento ao público e feito em uma sala ampla, com mesas grandes e muitas cadeiras, cada mesa possui um computador, ao fundo tem um maquina de Xerox e arquivos de ferro. A direção é uma pequena sala dividida em dois espaços, uma para os vices diretores da escola e outro para a diretora, ambas equipadas com computadores, arquivos, ventiladores, televisão, controle das câmeras de segurança. Na direção fica o cofre da escola. A cantina da escola é licitada e funciona apenas de manhã e a noite, a escola oferece nos períodos merenda feita na cozinha experimental.

No espaço externo ainda conta com uma fonte na entrada da secretaria, mesas de jogos fixas, casa do zelador da escola, estacionamento fechado. É arborizada e possui uma horta plantada pelos alunos do período da tarde, e entre os andares existe um jardim de inverno que embaixo das escadas tem um canteiro com o formato mapa e da bandeira do Brasil.

O professor de Sociologia é Bacharel na disciplina cursou o ensino superior na FESPSP, leciona a 03 anos e no momento está no período noturno com as turmas do 3º ano do ensino médio. Tem bom relacionamento interpessoal com os alunos através de aulas expositivas, utiliza de leituras críticas, vídeos, filmes, músicas, literatura e passeios temáticos para que assim possa atingir seu alunos com a finalidade de valorizar o discurso e o protagonismo dos mesmos (sic).



Diagnóstico da E. E. Benedita Ribas

A Escola Estadual Professora Benedita Ribas Furtado Silveira, está localizada na Rua José Tavares Siqueira, 198, no Bairro Parque São Jorge, tendo como ponto de referência o Hospital Municipal do Tatuapé e a Avenida Celso Garcia. Percebemos que é um bairro tranquilo que está em transformação com a expansão imobiliária, como ocorre em toda a região do Tatuapé. A Escola possui fácil acesso a linhas de ônibus e está perto da estação Carrão do Metrô.

Embora esteja localizada em um bairro de classe média, os alunos são, em sua maioria, oriundos de classes mais baixas e muitos são moradores de cortiços e favelas, como a do “pau queimado” e “Nelson Cruz”.

A Unidade oferece três níveis de Ensino: Fundamental I, (período da manhã – 1º ao 5º ano); Fundamental II (período da tarde – 6º ao 9º ano) e Modalidade EJA – “Educação Jovens e Adultos” nos níveis Fundamental e Médio (período da noite). A escola possui no total 900 alunos distribuídos nos três períodos.

A Unidade é bem organizada com 12 salas de aulas, limpas, arejadas com ventiladores. Está dividida em três pavimentos, sendo que 6 salas de aula possuem televisão de plasma 42 polegadas com entrada HDMI e tem projeto de colocar as outras televisões nas salas restantes, assim ajudando o professor caso queira apresentar algum material em vídeo, áudio ou imagem. Por esse motivo a Escola desativou a sala de vídeo e colocou o projetor na biblioteca.

A cozinha da escola é bem estruturada e limpa, e o serviço tem sua administração terceirizada, fornecendo refeições para os alunos (inclusivo do noturno). O ambiente escolar porta 6 banheiros, sendo 4 para os alunos e 2 para os funcionários, lembrando que a Instituição não possui acessibilidade para pessoas com necessidades especiais. Na área do desenvolvimento pedagógico, temos a Biblioteca com uma ótima estrutura, com telões, retro projetor, variedades de livros, bem organizada e com monitor para manter a organização. Vemos também a sala do acessa escola, que é a sala de informática que é usada frequente, temos também a quadra poliesportiva coberta, um minicampo, e um espaço onde se montou uma segunda quadra, porém sem cobertura, e uma mini horta projetada pela escola.

A área administrativa é composta por sala da Direção, sala da Vice Direção, sala da Coordenação, sala de professores e secretaria, todas em ambientes separados. Os recursos que a escola recebe são bem diversificados, sendo que R$ 3.000,00 por semestre do Estado através da Fundação para o desenvolvimento da Educação “FDE”, recebem também recursos da “APM” através do aluguel da cantina da escola. Toda a verba é destinada para a manutenção do prédio e melhoria e dos ambientes, embora a verba não atenda toda a necessidade da escola. Caso for necessário um recurso extra, a unidade segue protocolos legais via diretoria de ensino. Os valores são divulgados para comunidade escolar nas reuniões da APM e Conselho de Escola, pois a participação da comunidade é mínima.

De acordo com o plano de gestão apresentado vemos que a escola tem um projeto político pedagógico elaborado de 2014 até 2017, o planejamento pedagógico foi realizado através de reuniões com toda a equipe escolar. Há reuniões com os professores e a coordenação nas reuniões de ATPC e vemos que um dos assuntos mais pautados é a indisciplina. Alguns professores reclamam da falta de material, dificultando o trabalho do professor. O conteúdo seguindo em sala de aula é o currículo oficial do Estado de São Paulo, o educador realiza sua avaliação de aprendizagem através das provas bimestrais, juntamente com a prova do saber e a avaliação do professor, ativamente o conselho de classe está em funcionamento, juntamente temos a participação do grêmio estudantil. Os ciclos de aprendizagem são organizados por reuniões e acerto de ideias. Os professores procuram sempre se atualizarem, através dos cursos on line fornecidos pela Escola de Formação Aperfeiçoamento de Professore “EFAP”. O calendário seguido pela escola é disponibilizado pela sua respectiva diretoria de ensino, no caso a Leste 5, incluindo no seu calendário projetos interdisciplinares, como o programa Escola da Família e o Programa Mais Educação. A Escola não soube informar o índice o IDEB nem do IDESP.

O interessante a ressaltar é quanto aos ambientes do interior da escola, pois passam um ar bem educativo, com as paredes pintadas de laranja e com diversos quadros de obras de arte e suas respectivas descrições espalhados nas paredes da unidade.

Anúncios