Antropologia Brasileira

Autores_Da_Antropologia_Brasileira

A Antropologia Brasileira é uma disciplina muito importante para a compreensão da formação do povo brasileiro. Somos levados pela crença de que nossa história se deu de forma pacata, que os brasileiros são gentis e cordeais.

Conhecer como se deu o encontro dos europeus com os indígenas e como nasceu o povo brasileiro, faz parte da formação cidadã de casa indivíduo deste país. Uma vez que se têm os fatos narrados pelo viés de acadêmicos e historiadores nos traz a possibilidade de refletir sobre nossas origens. Somos mesmo tão gentis assim? Aceitamos de forma passiva e pacífica a invasão européia em nossas terras?

A professora Simone Barbanti apresenta de forma rápida a disciplina e indica autores que traçam não só a linha do tempo dos fatos, mas relaciona os acontecimento de forma racional e usando o olhar dos brasileiros, não mais dos europeus. Todos os livros indicados no vídeo são encontrados aqui: Livros de Antropologia

Agora que já sabe um pouco mais sobre a nossa origem, que tal repensar a postura e encarar a nossa cultura sob um outro viés, o brasileiro de fato? #FicaOConvite 😉

Por Cinthia Almeida

Anúncios

Filme Terra Vermelha

FilmeTerraVermelha

O filme Terra Vermelha é um convite para refletirmos as relações que se dão entre o branco (que vive na região onde tem reservas e tribos indígenas) e os povos indígenas. Até que ponto estão certos ou errados? Quais são os direitos e de quem são os direitos? E as terras? São daqueles que produzem nela e movimentam a economia do país ou daqueles que sempre estiveram lá, cuidando, preservando, ajudando o equilíbrio climático, da fauna e da flora?

O cenário e as situações mostrados no filme, são complexos e cheios de interrogações. Mistura concepções vindas de brancos estrangeiros, do brancos brasileiros, dos indígenas que vivem fora da cultura e dos indígenas nativos. Em quase duas horas de filme, quem assiste não sabe o que pensar, é conflitante.

Não tem como saber sem uma profunda reflexão, e sem algumas horas de debate, a solução para os problemas demonstrados. Pode parecer óbvio que as terras são dos indígenas, por mais que sejam, existem várias vertentes sociais que rebatem esse direito, ainda mais quando os indígenas começam a agir como os brancos. É como se eles perdessem a identidade e com isso, o direito “primário” ao lugar que é deles de origem.

É indispensável que se assista esse filme, ainda mais quando se trata de estudar Etnologia Brasileira, pois nossa origem é indígena, nosso povo é mestiço, surgem da mistura de indígenas, brancos e negros, mas a origem é indígena, eles já estavam aqui quando houve a invasão dos europeus. #MaisQueRecomendado #ReferênciaObrigatória

Por Cinthia Almeida

Ofício de Sineiros e o Toque dos Sinos de Minas Gerais

sinos

Patrimônio Imaterial Cultural do Brasil

Minas Gerais é muito conhecida pela culinária e pelo carinho dos mineiros que conquistam a todos com sua doçura acolhedora e, sem falar do nosso querido pão de queijo! Mas, além dessas maravilhas, temos um patrimônio que só nas cidades de Minas Gerais encontramos: Ofício de Sineiros e o Toque dos Sinos de Minas Gerais

As igrejas de Minas são encantadores na sua arquitetura e no ambiente de paz que existem em seus interiores, uma mistura de arte e religião que não poderia deixar de fora os Sinos e o som que ouvimos deles. Existe uma forma especial de tocar os sinos para sair o som, também especial, dos sinos.

mg_sabara_sineiro_welinton_acervo_iphan“O Ofício de Sineiro tem importância fundamental na produção e reprodução dos toques que caracterizam e diferenciam territórios e comunidades, contribuindo para a permanência da prática de tocar sino nas cidades mineiras como uma forma de comunicação e identidade. O Ofício de Sineiro foi inscrito no Livro de Registro dos Saberes, em 2009. Tendo como referência as cidades de São João del Rei, Ouro Preto, Mariana, Catas Altas, Congonhas do Campo, Diamantina, Sabará, Serro e Tiradentes, em Minas Gerais, é uma prática tradicional, vinculada ao ato de tocar os sinos das igrejas católicas para anunciar rituais e celebrações religiosas, atos fúnebres e marcação das horas, entre outras comunicações de interesse coletivo…” Site IPHAN

Toque dos Sinos em Minas Gerais – tendo como referência São João del Rei, Ouro Preto, Mariana, Catas Altas, Congonhas do Campo, Diamantina, Sabará, Serro e Tiradentes – constitui uma forma de expressão que associa os sinos, o espaço onde estão instalados – as torres-, os sineiros e a comunidade que os ouve em um processo de codificação e decodificação de mensagens há muito tempo transmitidas nas cidades de Minas Gerais.

toque-dos-sinosEssa forma de expressão, que associa a estrutura dos toques à ocasião religiosa em que devem ser tocados, contribui para o agenciamento de formas de sociabilidade, originalmente, relacionados à vida religiosa daquelas comunidades, mas que, hoje, ultrapassa essa dimensão, abrangendo sentidos e significados relacionados à sua identidade cultural. O Toque dos Sinos em Minas Gerais foi inscrito no Livro das Formas de Expressão, em 2009…” Site IPHAN



Vídeo – O Toque dos Sinos em Minas Gerais – 2009

Por Cinthia Almeida