Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS

libras-lingua-brasileira-de-sinais

Quando falamos de língua brasileira, o que vem em nossa mente? PORTUGUÊS! Você sabia que nós temos duas línguas oficiais no Brasil? Uma você respondeu corretamente e a outra é LIBRAS: Língua Brasileira de Sinais. Existe uma parcela representativa da população brasileira que forma a comunidade surda:

“…Cerca de 9,7 milhões declaram ter deficiência auditiva (5,1%). A deficiência auditiva severa foi declarada por mais de 2,1 milhões de pessoas. Destas, 344,2 mil são surdas e 1,7 milhão de pessoas têm grande dificuldade de ouvir….” Ler mais em: 23,9% dos brasileiros declaram ter alguma deficiência, diz IBGE


Para quem tem interesse de conhecer o Censo 2010, especificamente para pessoas com deficiência: CARTILHA DO CENSO 2010 – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


Em 2002 foi criada a LEI Nº 10.436, DE 24 DE ABRIL DE 2002, destaque para dois artigos: “…Art. 1º É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras e outros recursos de expressão a ela associados. Parágrafo único. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais – Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema linguístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema linguístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil. […] Art. 4º O sistema educacional federal e os sistemas educacionais estaduais, municipais e do Distrito Federal devem garantir a inclusão nos cursos de formação de Educação Especial, de Fonoaudiologia e de Magistério, em seus níveis médio e superior, do ensino da Língua Brasileira de Sinais – Libras, como parte integrante dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNs, conforme legislação vigente. Parágrafo único. A Língua Brasileira de Sinais – Libras não poderá substituir a modalidade escrita da língua portuguesa…”

Com a criação da lei, as Licenciaturas passam a ter, obrigatoriamente, a disciplina LIBRAS no currículo, como uma forma de cumprir a difusão da língua. No curso de Ciências Sociais – Licenciatura temos essa oportunidade de conhecer a Cultura (sim, isso mesmo, cultura surda), a história da língua de sinais e como se deu o processo da inclusão no Brasil.

foto_Sueli_RamalhoA Uninove tem a honra (sem exageros) de contar como Docente de LIBRAS: Sueli Ramalho, uma mulher inspiradora! A universidade ganhou, e muito, com a qualidade profissional da Sueli, que nasceu surda, fala perfeitamente o Português e é militante da causa surda.

Sua história inspira todos os alunos que passam por ela, não tem como não se emocionar e não se colocar em reflexão diante da realidade que os surdos enfrentam em nosso país, que vai desde a aceitação como pessoas capazes de aprender, até necessidades básicas que se tornam desafios para eles como: a pilha dos aparelhos auditivos que duram pouco e são caras (fora do país elas duram muito e são baratas. Para importar pagaria-se imposto e isso dificulta adesão de pilhas importadas), além das pilhas, tem os parafusos dos aparelhos, eles são de ouro e isso provoca assaltos! #Incrível 😮

Ficaríamos horas falando sobre a Cultura Surda, recomendamos para os interessados que busquem escolas especializadas em ensinar LIBRAS (os cursos são de no mínimo 1 ano) para ter a qualidade de comunicação e entendimento social da comunidade. Não basta apenas ser o intérprete, tem que entender o contexto social que eles vivem, a forma como eles enxergam o mundo e a maneira de se expressar e se comunicar!

RebecaNemerPara estimular essa busca por conhecimento, vamos deixar aqui no post vídeos da própria Sueli, contando sua história de militante e surda atuante. E vamos deixar o vídeo do alfabeto em LIBRAS feito por Rebeca Nemer que é ouvinte (identificação que o surdo dá para quem ouve), mas se especializou em LIBRAS e ficou muito conhecida por cantar em LIBRAS:


SUELI RAMALHO HISTÓRIA E LUTA

Programa Provocações

Programa Entrevista Imprevista


ALFABETO EM LIBRAS COM REBECA NEMER

Programa do Jo

Agora que você conheceu um pouco da realidade surda, que tal ir além? Sempre que tiver uma oportunidade de aprender (em um curso de graduação que tenha LIBRAS, por exemplo) se dedique, se inspire, abra seu olhar! Você pode fazer a diferença nesta luta! Como já sabemos: Não precisa ser para acreditar e lutar! 😉

Por Cinthia Almeida

Anúncios