Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS

libras-lingua-brasileira-de-sinais

Quando falamos de língua brasileira, o que vem em nossa mente? PORTUGUÊS! Você sabia que nós temos duas línguas oficiais no Brasil? Uma você respondeu corretamente e a outra é LIBRAS: Língua Brasileira de Sinais. Existe uma parcela representativa da população brasileira que forma a comunidade surda:

“…Cerca de 9,7 milhões declaram ter deficiência auditiva (5,1%). A deficiência auditiva severa foi declarada por mais de 2,1 milhões de pessoas. Destas, 344,2 mil são surdas e 1,7 milhão de pessoas têm grande dificuldade de ouvir….” Ler mais em: 23,9% dos brasileiros declaram ter alguma deficiência, diz IBGE


Para quem tem interesse de conhecer o Censo 2010, especificamente para pessoas com deficiência: CARTILHA DO CENSO 2010 – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


Em 2002 foi criada a LEI Nº 10.436, DE 24 DE ABRIL DE 2002, destaque para dois artigos: “…Art. 1º É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras e outros recursos de expressão a ela associados. Parágrafo único. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais – Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema linguístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema linguístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil. […] Art. 4º O sistema educacional federal e os sistemas educacionais estaduais, municipais e do Distrito Federal devem garantir a inclusão nos cursos de formação de Educação Especial, de Fonoaudiologia e de Magistério, em seus níveis médio e superior, do ensino da Língua Brasileira de Sinais – Libras, como parte integrante dos Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNs, conforme legislação vigente. Parágrafo único. A Língua Brasileira de Sinais – Libras não poderá substituir a modalidade escrita da língua portuguesa…”

Com a criação da lei, as Licenciaturas passam a ter, obrigatoriamente, a disciplina LIBRAS no currículo, como uma forma de cumprir a difusão da língua. No curso de Ciências Sociais – Licenciatura temos essa oportunidade de conhecer a Cultura (sim, isso mesmo, cultura surda), a história da língua de sinais e como se deu o processo da inclusão no Brasil.

foto_Sueli_RamalhoA Uninove tem a honra (sem exageros) de contar como Docente de LIBRAS: Sueli Ramalho, uma mulher inspiradora! A universidade ganhou, e muito, com a qualidade profissional da Sueli, que nasceu surda, fala perfeitamente o Português e é militante da causa surda.

Sua história inspira todos os alunos que passam por ela, não tem como não se emocionar e não se colocar em reflexão diante da realidade que os surdos enfrentam em nosso país, que vai desde a aceitação como pessoas capazes de aprender, até necessidades básicas que se tornam desafios para eles como: a pilha dos aparelhos auditivos que duram pouco e são caras (fora do país elas duram muito e são baratas. Para importar pagaria-se imposto e isso dificulta adesão de pilhas importadas), além das pilhas, tem os parafusos dos aparelhos, eles são de ouro e isso provoca assaltos! #Incrível 😮

Ficaríamos horas falando sobre a Cultura Surda, recomendamos para os interessados que busquem escolas especializadas em ensinar LIBRAS (os cursos são de no mínimo 1 ano) para ter a qualidade de comunicação e entendimento social da comunidade. Não basta apenas ser o intérprete, tem que entender o contexto social que eles vivem, a forma como eles enxergam o mundo e a maneira de se expressar e se comunicar!

RebecaNemerPara estimular essa busca por conhecimento, vamos deixar aqui no post vídeos da própria Sueli, contando sua história de militante e surda atuante. E vamos deixar o vídeo do alfabeto em LIBRAS feito por Rebeca Nemer que é ouvinte (identificação que o surdo dá para quem ouve), mas se especializou em LIBRAS e ficou muito conhecida por cantar em LIBRAS:


SUELI RAMALHO HISTÓRIA E LUTA

Programa Provocações

Programa Entrevista Imprevista


ALFABETO EM LIBRAS COM REBECA NEMER

Programa do Jo

Agora que você conheceu um pouco da realidade surda, que tal ir além? Sempre que tiver uma oportunidade de aprender (em um curso de graduação que tenha LIBRAS, por exemplo) se dedique, se inspire, abra seu olhar! Você pode fazer a diferença nesta luta! Como já sabemos: Não precisa ser para acreditar e lutar! 😉

Por Cinthia Almeida

Anúncios

Reforma do Ensino Médio – Prof Celso Carvalho (Uninove)

Palestra foca o debate para o momento político que o Brasil está vivenciando, mais especificamente na área da Educação, por ser um setor de extrema importância para o futuro de qualquer país, independentemente do seu regime de Estado.

SITUANDO O LEITOR: Neste momento (segundo semestre de 2016) existem algumas leis e medidas provisórias sendo votadas que irão modificar a história do país e impactar diretamente no setor da Educação, são elas:

Base Nacional Curricular Comum (uma forma de universalizar o ensino no país para garantir uma qualidade igualitária na prática de ensino em todo o território nacional) – Debate proposto pelo Governo Dilma e interrompido pelo Governo Temer.

PEC 241 (que congela os gastos públicos nas áreas sociais por 20 anos, entre elas Saúde e Educação) e Divisão do Pré-Sal (atraindo investidores internacionais, diminuindo o repasse do recurso para Educação e Saúde). – Governo Temer

Escola Sem Partido (movimento que visa retirar das escolas os debates, discussões e reflexões sobre temas importantes como: gênero, família e política, censurando ou limitando a prática docente em salas de aula). – Governo Temer

Reforma do Ensino Médio (Medida Provisória 746 que visa reformular a estrutura das aulas no Ensino Médio, tirando a obrigatoriedade de algumas matérias como: Filosofia, Sociologia, Artes e Educação Física, divide o ensino em 5 grandes áreas de especialização, nas quais, a escolha fica por conta do aluno e transforma o período de estudo para integral) – Governo Temer

E são esses 4 pontos que o Professor Celso Carvalho (Licenciatura em Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação Uninove) traz para o debate e traça as linhas de análises críticas na construção da sua fala, buscando mostrar os cenários de cada medida ou lei e juntando todos para formular a realidade que termos se nada for feito.

As problemáticas que estão inseridas neste contexto são extremamente delicadas e requer uma profunda reflexão da sociedade (escola, sindicatos, professores, alunos e pais) que deve se mobilizar, não apenas para se posicionar contra ou a favor, mas para entender a complexidade e traçar caminhos que devem visar melhorias do cenário que temos e não a piora.

OUÇA O ÁUDIO COM OS PRINCIPAIS PONTOS DO DEBATE

14958207_207854279640859_1566812847_o-1

Por Cinthia Almeida (texto) e Alex Faria (fotos e áudio) – alunos do 4º Semestre – Ciências Sociais – Licenciatura

Vídeos da Coleção Sociologia no Ensino Médio

O mês de setembro é especial e ao mesmo tempo triste por diversos motivos. Começa a Primavera, lembramos da Ditadura no Chile (1973), atentado às Torres Gêmeas nos EUA (2001), e agora, em 2016 pela MEDIDA PROVISÓRIA No – 746, DE 22 DE SETEMBRO DE 2016, que propõe uma reforma no Ensino Médio.

Uma das mudanças que pode ser oficial é a que atinge 4 disciplinas essenciais para a construção do pensar, do saber e do sentir: Artes, Educação Física, Sociologia e Filosofia. Segundo o Presidente Michel Temer, essas disciplinas serão optativas, cabendo à organização de Ensino colocar, ou não, na grade curricular da escola.

Diante de um cenário como este, é necessário reforçar a importância de todas as disciplinas que poderão ser optativas, em especial, a Sociologia, que muito esclarece os alunos, trazendo para a sala de aula o debate, promovendo o pensar e a produção do conhecimento científico.

De autoria de Nelson Dácio Tomazi e Amaury César Moraes, dois renomados autores e pesquisadores da área de ensino de Ciências Sociais, os vídeos da Coleção Sociologia no Ensino Médio é uma excelente alternativa para quem busca aperfeiçoar-se no ensino de sociologia e propagar o conhecimento.

Vídeo 1: Contexto e princípios gerais

Aborda as questões introdutórias da Sociologia, como: Para que serve a Sociologia? Ciência e senso comum. Uma breve história. Orientações Curriculares Nacionais (OCN´s). Os conceitos de Estranhamento e Desnaturalização, além da prática da da leitura sobre Sociologia e da escrita sobre Sociologia.

Vídeo 2: Teorias e conceitos: ferramentas do pensar sociológico

Aborda as questões filosóficas da construção do pensamento sociológico, como: Teorias, conceitos e temas. Origens sociais do conhecimento. Teorias e conceitos têm uma história. Pesquisa e o trabalho do pensamento. Trabalha os temas: “comunidade e sociedade”; “ideologia” e “pluralidade cultural e racial”.

Vídeo 3: Temas sociológicos

Aborda questões do olhar social, que transformando temas em temas sociológicos e a formação do professor.

Vídeo 4: Questões prátias

Aborda questões focadas para a disciplina do Ensino Médio, como: Como fazer um programa de sociologia para o ensino médio. Formatos e dinâmicas de aula. Utilizando diferentes ferramentas. A leitura. Trabalhando com imagens. Aprender e ensinar a ver. A pesquisa como forma de ensino e, por fim, A avaliação.

Essa coleção é praticamente uma preparação para todo docente que vai começar sua trajetória no Ensino Médio! #Recomendamos não só assistir, mas refletir, questionar, vislumbrar e acreditar que será capaz!

Por Cinthia Almeida