Projeto Integrador: Propostas em educação nas eleições presidenciais de 2018

Aconteceu no último dia 2 de outubro (terça) a apresentação do Projeto Integrador (PI) da Licenciatura em Ciências Sociais 2018/2. Nessa versão, o PI tinha por objetivo acompanhar e analisar as propostas/programas na área de educação das 13 (treze) candidaturas à Presidência da República: Lula (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede Sustentabilidade), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL), Cabo Daciolo (Patriotas), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU).

Sob a coordenação das professoras Regina Magalhães de Souza e Sandra Costa dos Santos, o projeto foi um exercício de análise das políticas educacionais do país (presentes e futuras, em vigor e/ou propostas) sob o ponto de vista científico-acadêmico. Foi uma oportunidade de esclarecimento, reflexão e debate, lançando mão da contribuição teórica das ciências sociais para a interpretação de fenômenos e eventos que afetam diretamente a vida de milhões de brasileiros.

As treze candidaturas foram divididas entre as duas turmas (seis para uma e sete para outra), mantendo um equilíbrio, em cada turma, entre “direita” e “esquerda”, “pequenos” e “grandes” candidatos. Em cada turma, os alunos se organizam em grupos, que analisaram:

  • as biografias dos candidatos e seus vices;
  • as propostas na área de educação que constavam nos programas das candidaturas;
  • os depoimentos/entrevistas dos candidatos à grande imprensa;
  • os conteúdos sobre educação veiculados nos programas eleitorais do rádio e TV;
  • os depoimentos dos candidatos nos principais debates na televisão;
  • as respostas aos e-mails enviados às campanhas dos candidatos, com perguntas sobre suas propostas para a área de educação;
  • as análises sobre o conteúdo recolhido à luz dos autores das Ciências Sociais estudados no curso.

O evento também contou com o apoio do Departamento de História, com a participação dos professores e alunos nos debates.

 

Bibliografia básica:

ENGUITA, Mariano Fernandez. O setor do ensino no marco da lógica econômica do capital. In: ______. Trabalho, escola e ideologia: Marx e a crítica da educação. São Paulo: Artes Médicas, 1993, p. 259-293.
MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. São Paulo: Cortez, 1994.

Fotos do evento:

 

Fotos: Arakin Monteiro

Documentário Pensando com Caio Prado Jr.

caiopradojr“Caio Prado Jr. nasce no seio de uma das mais importantes famílias da burguesia cafeeira de São Paulo, os Silva Prado. O ano é 1907, época da República Velha, quando os membros do grupo social de caio têm amplo domínio na vida social e política brasileira.
Entre os barões do café, os Silva Prado são particularmente influentes. A empresa da família, a Companhia Prado-Chaves Exportadora, chega a ser responsável, quando Caio Prado tinha onze anos, pela venda de 2,2 milhões de sacas de café, o que equivale a 20,25% do café exportado pelo porto de Santos na época. Logo, porém, vem a decadência. Na verdade, o melhor período da família, assim como o do café, corresponde ao século XIX.
Caio inicia os estudos com professores particulares, prossegue, com os jesuítas do Colégio São Luiz, sem faltar mesmo uma temporada na Inglaterra. Jovem, faz Direito na tradicional Faculdade do Largo São Francisco…” Texto retirado do livro: Sete lições sobre as interpretações do Brasil – Bernardo Ricupero (Capítulo V – Caio Prado Jr. p. 131)


Livros de/sobre Caio Prado Jr.


Vídeo – Pensando com Caio Prado Jr

Professor Arakin Monteiro

Livro “O Genocidio do Negro Brasileiro”, de Abdias do Nascimento

“A importância dos intelectuais militantes, nos diversos movimentos sociais contemporâneos, não pode ser medida apenas por sua atuação frente às organizações ou instituições concebidas pela sociedade civil. Muitos deles tendem a estabelecer novas formas de percepção e análise da realidade social em que estão inseridos. Tais formas de percepção propiciam análises – que se encontram a margem do espaço acadêmico – sobre os fenômenos sociais, os quais merecem um tratamento sociológico que busque contemplar a lacuna deixada no debate sobre o pensamento social brasileiro.

livro-abdias-nascimento-genocidio-povo-negro-1978Este é o caso de Abdias do Nascimento, considerado internacionalmente um dos principais pensadores pan-africanistas. Sua obra representa um aporte central para a análise da natureza orgânica e estrutural do racismo latino-americano, especialmente a partir da perspectiva da política regional (…) seus escritos foram decisivos para avançar a premissa teórica de que na América Latina se formou um sistema de dominação étnico-racial e socioeconômico específico, baseado precisamente na “mestiçagem programada” entre raças e etnias situadas em posições fixas de inferioridade e de superioridade. Esta tese encontra-se na obra O genocídio do negro brasileiro (1978), que pode ser classificada como um trabalho seminal no que tange ao debate sobre a questão racial e a condição política dos diversos segmentos afrodescendentes no Brasil.” (Dissertação de Mestrado de André Luis Pereira, “O pensamento social e político na obra de Abdias do Nascimento – UFRGS, 2011)

Download do livro “O Genocidio do Negro Brasileiro”, de Abdias do Nascimento