Resenha do livro Ideologia no Livro Didático

Ideologia no Livro DidaticoO livro Ideologia no Livro Didático (livro em PDF) apresenta um estudo realizado pela autora Ana Lúcia G. de Faria sobre as ideologias presente nos livros didáticos de educação básica e o efeito que este ensino de caráter dominante causa no desenvolvimento dos alunos. Para isso, foram observadas as ideias predominantes entre alunos de classe burguesa e do proletariado, e como os ensinamentos do livro didático contribuem para determinar o modelo de pensamento destes alunos.

Para alunos da rede pública, o trabalho é uma forma de sobrevivência. Para estas crianças, o trabalho é uma forma de cooperar para a harmonia da sociedade. Cada um possui uma função “natural” nos meios de trabalho, e só os mais inteligentes conseguem alcançar melhores cargos. O pedinte que não possui um trabalho formal é visto como preguiçoso, e não há um questionamento sobre sua situação. Para estes alunos o trabalho é uma forma de enriquecimento, mas ao mesmo tempo há um conformismo sobre a pobreza que vivenciam.

O livro didático representa para os alunos de classe operária uma realidade dada, sem o menor confronto ou crítica. As ideologias demonstram que as coisas acontecem de forma natural, e resta ao aluno de baixa renda apenas aceitar as coisas como são, ocultando-se desta forma a dominação de uma classe sobre a outra.

Já, para as crianças da classe burguesa, trabalhar é como praticar um esporte. A escola é aliada do trabalho pois é ela quem conduz a uma profissão. Para estes alunos apenas o trabalho intelectual tem valor, o trabalho manual é visto como inferior, e ter uma boa profissão depende apenas de mérito pessoal, desta forma só é pobre quem não é esforçado.

As crianças da classe burguesa aprendem desde cedo que devem manter as melhores profissões e maiores posições sociais. As ideologias do livro didático contribuem para determinar a função de cada um na sociedade, a criança pobre a se conformar com as dificuldades, e a criança rica a se preparar para deter os meios de dominação.
O trabalho é sempre mostrado de forma fetichizada, e motivo de orgulho para quem trabalha, nunca se aborda no livro didático a exploração no trabalho, nem as péssimas condições as quais são submetidos muitos trabalhadores e as classes sociais parecem inexistentes. O trabalho é sempre o que “dignifica” o homem e gera o progresso.

O desenvolvimento do trabalho no livro didático acontece de forma natural. Exclui-se os processos históricos na formação dos meios de produção, tudo acontece por acaso, e a força de trabalho é o meio para se chegar ao progresso.

Para isso, é necessário que haja uma “cooperação” entre as diferentes formas de trabalho. O trabalhador é o herói que luta pelo avanço da sociedade, não há classes nem conflitos, todos se unem em prol de um bem maior.

As ideologias do livro didático sugerem que devemos buscar sempre o progresso, chegando inclusive a demonstrar repúdio às favelas, que seria uma forma de atraso. Porém, não é discutido no livro didático o motivo da existência desse tipo de moradia, e nem o contexto que leva as pessoas de baixa renda a residirem nesses locais.

A educação, segundo o livro didático é o que garante que as pessoas tenham um bom emprego,que dependerá do esforço de cada um. Desta forma o livro didático leva à exclusão as crianças que não frequentam a escola pelos mais variados motivos, como a falta de vagas nas escolas ou pela necessidade de trabalharem para complementar a renda da família. O indivíduo é sempre o culpado pela sua realidade social.

A função das ideologias no livro didático é sempre mascarar a dominação de uma classe sobre a outra, e inculcar nas crianças desde cedo os valores da classe dominante, mantendo assim o poder que esta classe exerce sobre os dominados.

Porém, mudar o livro didático apenas não é suficiente para reverter esta situação. O professor deve estar ciente do sistema de dominação existente na escola, e buscar estratégias para tornar o aluno mais crítico desta realidade.

O professor pode mesmo com os recursos didáticos ideológicos presentes nas escolas, instigar o aluno à observar os conteúdos do livro didático e relacioná-lo com a própria realidade, tentando desta forma fazer com que o aluno perceba a dominação presente nestes conteúdos.

Esta análise realizada nos livros didáticos demonstra como as ideologias se fazem presentes não só nos livros didáticos mas nos meios de transmissão de conhecimento de uma forma geral. As ideologias apresentadas às crianças em fase escolar interferem no desenvolvimento destas crianças,que aprendem a pensar de acordo com as ideias do sistema, e não constroem nenhum senso crítico. O trabalho do professor ao utilizar os livros didáticos pode desmascarar as ideologias que visam manter a classe dominante e contribuir para a formação de uma nova sociedade.

Resenha desenvolvida pela aluna: Érica Espanha Castelucci do curso Ciências Sociais – Licenciatura / 3º semestre 2016

Referência:
FARIA, Ana Lucia G.Ideologia no livro didático.16.ed.São Paulo:Cortez, 2008,101.p.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s