Um pouco sobre minha chegada na vida acadêmica

foto-0707A vida tem diversos momentos bons e ruins, fáceis e difíceis, o assustador é que não da para ter controle sobre ela. Sempre pensei muito sobre a vida e como que as coisas tomam formas, diversas coisas sobre a vida e a sociedade me despertava curiosidade, nunca achei tão fácil entender as relações sociais, a divisão econômica, os espaços de moradias, as estruturas escolares, o poder politico, as relações com as diferentes nações, e sobre tudo o descaso com o sofrimento humano que é visível.

Eu e meus amigos sem perspectiva de vida, muitos morrendo aos 14, 16 anos de vida, jovens com sonhos roubados. Quem roubou? No decorrer da vida foi se tornando ainda mais assombrosos esses questionamentos. Quando ainda na escola, tive um professor que me chamava atenção demais, ele muito dedicado a sua disciplina e focado no nosso aprendizado, sempre deu mais do que o necessário para nosso crescimento.

Um bairro muito violento e bem distante do centro, sem uma quadra esportiva na época, sem um teatro ou biblioteca pública, pouco recurso para uma juventude tão grande que vivia ali. Porém bar tinha e tem até hoje, e muitos. O professor bem jovem além de suas atividades, também nos ensinava capoeira e aula de violão. Esse educador despertou meu interesse pelos livros e o anseio de uma vida melhor, e trouxe luz a diversas perguntas que eu tinha sobre a vida e sociedade.

Foi ai então que tive o interesse de estudar, ou melhor, ser professor de Sociologia, lógico a vida tem seus ritmos e nos leva a diversos cantos até chegarmos onde queremos, entretanto, com uns anos de demora e com mais maturidade sobre a escolha.

Foi assim que cheguei em 2013 no curso de ciências sociais, em busca de respostas que ainda não obtive, mas com uma disposição enorme para essa investigação. Cheguei em um momento que tudo estava desabando, uma perda irreparável, meu pai se foi para o descanso, desempregado e outras coisas dando errado, porém, vir a oportunidade de cursar Ciências Sociais como uma luz e fonte de força para o momento difícil que atravessava e creio que ainda estou atravessando, mas com um novo olhar e animo renovado.

Cada disciplina do curso me dava gás e força para caminhar e resposta a uma diversidade de perguntas e fantasmas que não se calavam em minha vida, as matérias de antropologia foram libertadoras e transformadoras , resumindo, foi assim que chequei em Ciências Sociais.

Por Rodrigo Estevan Ramos – Aluno do 6º semestre do curso de Ciências Sociais

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s