Ciências Sociais lança cartilha sobre a Reforma do Ensino Médio: Reformar ou Reconstruir?

Sob orientação e revisão técnica da Professora Regina Magalhães, o curso de Ciências Sociais,  lançou a Cartilha Reforma do Ensino Médio: reformar ou reconstruir?

capa-cartilha-reforma-ensino-medio-2018-ciencias-sociais-uninove

A cartilha tem o objetivo de informar e esclarecer alunos e professores, estudantes de licenciatura, enfim, comunidade escolar em geral, sobre a reforma do ensino médio, estabelecida em lei no início de 2017. A urgência com que o texto da lei foi discutido e aprovado no Congresso Nacional fez com que dúvidas e questionamentos ainda persistissem, justamente, entre os mais afetados pela reforma: os jovens. Esta cartilha destina-se, principalmente, a eles.

A cartilha não esgota o assunto, mas destaca e comenta os pontos principais da reforma: a escolha dos itinerários, a formação profissional, a EaD, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o notório saber. Adota uma linguagem acessível, mas mantém o rigor da análise crítica, com base em bibliografia especialmente selecionada.

Foi elaborada como parte das atividades da disciplina Projetos Pedagógicos pelos formandos do curso de Licenciatura em Ciências Sociais da Universidade Nove de Julho (Uninove), em meio a outras tantas tarefas e obrigações de final de curso. Os autores, portanto, têm consciência das limitações do material, mas também a expectativa de que seja útil para subsidiar discussões sobre o tema.

A equipe também desenvolveu um blog próprio para divulgação da cartilha, permitindo o diálogo e a atualização dinâmica dos tópicos, conforme os desdobramentos da reforma:

site-reforma-ensino-medio-2018

Ficha Técnica:

Orientação e revisão técnica

Profa. Regina Magalhães de Souza

Projeto gráfico e diagramação

Profa. Domitila Carolino

Ilustrações

Kevin Dias Dantas de Santana

Criação e redação

Anna Luiza Costa Molina

Aurélio Galdino da Silva

Demison dos Santos Merces

Derick Casagrande Santiago

Felipe Carniero de Proença

Felipe Johnny dos Santos Brito

Francinaldo Silva Carvalho

Isabel Araujo Alencar

João Vítor Santos Campos

Kevin Dias Dantas de Santana

Marcos Vinícius Vieira

Natana de Oliveira Mendes

Pamela Carla da Silva

Renata Correia de Lima

Rodrigo Aparecido Guilherme

Rosana dos Santos Reis

Thauane de Sousa Possimoser

Winner Batista Rocha

Visite o site da Cartilha Reforma do Ensino Médio: Reformar ou Reconstruir?

Visita ao Memorial da Resistência

No dia 03 de dezembro os alunos das turmas do 1º ao 4º semestres do curso de Ciências Sociais, sob a orientação da professora Sandra Costa, fizeram uma visita monitorada ao Memorial da Resistência.

visita-memorial-resistencia-1

Com o propósito de aproxima-los da triste realidade vivida no país durante a ditadura militar, o encontro foi um momento de discussão sobre os horrores sofridos naquele lugar, sobre os relatos de homens e mulheres que foram submetidos aos mais degradantes sofrimentos.

Durante duas horas os alunos puderam conversar e receber informações sobre a história do prédio e sobre a estrutura criada pela ditadura para receber o DEOPS. Mas principalmente perceber o significado da memória. Esta fica registrada por todos os cantos, imagens e sensações.

visita-memorial-resistencia-2

Ficaram impactados com o diálogo com o monitor que os guiou e com os sentimentos que vieram ao visitar as antigas celas. Nas palavras da aluna Rayane Lima foi “Incrível”.

Já para Cleusa Ferreira

“a visita a estes espaços servem para que não nos esqueçamos destes fatos e para pensemos nos outros e respeitarmos mais uns aos outros”.

Para Geraldo Santos (4º período), 

“ao ver as frases nas paredes escritas pelas mãos de quem foi torturado dentro da cela, senti vergonha de saber que nossa história tem uma página com acontecimentos macabros que ainda fazem muitos chorarem; diante destes fatos históricos não podemos ficar calados.”

Percorrendo os espaços que antigamente abrigou presos políticos e foi espaço de torturas e mortes a sensação, em muitos momentos é de indignação, tristeza, impotência. No entanto, o Memorial da Resistência guarda algo imprescindível para as gerações atuais e futuras. O peso e valor da memória. Assim, Carla Monize do 2º semestre, relembrou um depoimento que encontrou no memorial:

“Lembrar é resistir! E precisamos lembrar sempre de quem resistiu para que estivéssemos onde estamos”.

Foram horas de reflexão e introspecção que permitiram relembrar parte da história do país e que deixou importante marca em nossos alunos.

 

Projeto Integrador: Propostas em educação nas eleições presidenciais de 2018

Aconteceu no último dia 2 de outubro (terça) a apresentação do Projeto Integrador (PI) da Licenciatura em Ciências Sociais 2018/2. Nessa versão, o PI tinha por objetivo acompanhar e analisar as propostas/programas na área de educação das 13 (treze) candidaturas à Presidência da República: Lula (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede Sustentabilidade), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL), João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL), Cabo Daciolo (Patriotas), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU).

Sob a coordenação das professoras Regina Magalhães de Souza e Sandra Costa dos Santos, o projeto foi um exercício de análise das políticas educacionais do país (presentes e futuras, em vigor e/ou propostas) sob o ponto de vista científico-acadêmico. Foi uma oportunidade de esclarecimento, reflexão e debate, lançando mão da contribuição teórica das ciências sociais para a interpretação de fenômenos e eventos que afetam diretamente a vida de milhões de brasileiros.

As treze candidaturas foram divididas entre as duas turmas (seis para uma e sete para outra), mantendo um equilíbrio, em cada turma, entre “direita” e “esquerda”, “pequenos” e “grandes” candidatos. Em cada turma, os alunos se organizam em grupos, que analisaram:

  • as biografias dos candidatos e seus vices;
  • as propostas na área de educação que constavam nos programas das candidaturas;
  • os depoimentos/entrevistas dos candidatos à grande imprensa;
  • os conteúdos sobre educação veiculados nos programas eleitorais do rádio e TV;
  • os depoimentos dos candidatos nos principais debates na televisão;
  • as respostas aos e-mails enviados às campanhas dos candidatos, com perguntas sobre suas propostas para a área de educação;
  • as análises sobre o conteúdo recolhido à luz dos autores das Ciências Sociais estudados no curso.

O evento também contou com o apoio do Departamento de História, com a participação dos professores e alunos nos debates.

 

Bibliografia básica:

ENGUITA, Mariano Fernandez. O setor do ensino no marco da lógica econômica do capital. In: ______. Trabalho, escola e ideologia: Marx e a crítica da educação. São Paulo: Artes Médicas, 1993, p. 259-293.
MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. São Paulo: Cortez, 1994.

Fotos do evento:

 

Fotos: Arakin Monteiro